Home / DEPARTAMENTOS / TAIKO

Shindô Daiko - 心道

ShindoDaiko 

 

O Grupo ShindōDaiko sempre está de portas abertas para a entrada de novos integrantes que tenham a partir de 12 anos, sem limite superior de idade.

Venha fazer uma visita e conhecer melhor nossas atividades!

Mais informações no nosso BLOG: CLIQUE AQUI 

Contato: contato.shindo@gmail.com

 

 

Histórico:

Taiko literalmente quer dizer "tambor grande" em japonês, embora exista uma grande diversidade de formas e tamanhos. A palavra Taiko se refere tanto à arte dos tambores japoneses, quanto ao instrumento em si.

A história do Taiko japonês (Wadaiko) mantem-se obscura e sob especulações. Entretanto, como os primeiros instrumentos de qualquer sociedade tendem a ser de percussão, não seria improvável que o Taiko (como é conhecido hoje) tenha sido usado no Japão por vários milênios. 

O Taiko japonês como o conhecemos atualmente lembra os instrumentos chineses e coreanos, que provavelmente foram introduzidos nas ondas de influência de ambas as culturas a partir dos anos 300-900 d.C. Porém, as ondas de influência cultural pararam por volta do ano 900 e o desenvolvimento desde então pode ser atribuído basicamente aos artesãos japoneses.

O Taiko foi utilizado como instrumento para intimidar e assustar o inimigo com o seu som e suas danças. Além disso, nos idos de 1500, o Taiko era usado em batalhas para dar ordens e coordenar, já que era o único instrumento que podia ser ouvido em todo o campo de batalha. De acordo com figuras e pinturas da época, um soldado carregava o Taiko preso às costas enquanto dois outros soldados batiam no tambor, um de cada lado.

Além do aspecto marcial, o Taiko também era empregado nos mais refinados cenários culturais. A música Gagaku foi introduzida no Japão na era Nara (697-794), juntamente com o budismo, e foi rapidamente adotada como sendo da corte imperial.

O poder ressonante do Taiko também foi associado aos deuses e logo apropriado pelas religiões do Japão. O Taiko era importante para as aldeias, pois era o instrumento que noticiava tudo o que ocorria. Esses sinais se tornaram tão importantes para o cotidiano que as pessoas eram gratas ao Taiko, passando a acreditar que deuses morassem nos Taikos. Com o desenvolvimento de tal crença, apenas homens sagrados tinham permissão para tocar o Taiko. Durante todo esse tempo, Taiko era tocado sozinho ou às vezes em pares.

O Taiko tocado em conjunto (Kumidaiko), é um fenômeno pós-guerra, que nasceu em 1951. Daihachi Oguchi, criador do estilo Kumidaiko, era um baterista que conheceu uma peça antiga de música Taiko por acaso. Como sua formação era em jazz, ele pensava no por que o Taiko sempre era tocado sozinho e quebrou a tradição tocando o Taiko em conjunto.

Cada Taiko é um trabalho artesanal, feito sobre uma única grande e maciça tora de madeira nobre (Keyaki, Pinho Negro Japonês entre outros) e dois couros especiais. O produto final é um corpo de madeira oco, com os couros fixados através de pregos especiais em cada extremidade do corpo.

O Taiko é tocado com bastões (Bachi) feitos de Bambu, Pinho ou outras variedades de madeiras, que medem cerca de 40cm , conforme o tamanho do Taiko.

Carregando quase dois mil anos de tradição, o Taiko foi uma das primeiras expressões musicais Japonesas a serem espalhadas pelo mundo.

Atualmente, existem quase oito mil grupos de Taiko, somente no Japão. O conjunto dos instrumentos é composto por Taiko''s de diversos tipos, Takê''s (bambus) , Atarigane''s e Shappa''s , que são instrumentos metálicos usados para dar ritmo à música. 

No Brasil, o Taiko chegou graças aos imigrantes de japoneses que trouxeram o Taiko tradicional de suas regiões em suas bagagens e lembranças. Entretanto, ele se difundiu também graças ao Kumidaiko, apresentado por grupos tradicionais como Tangue Setsuko Taiko Dojo, Godaiko, Vitória, Byakko e Setsuo Kinoshita Taiko Group. Estes grupos popularizaram o Taiko no Brasil e como não poderia deixar de ocorrer, formaram-se vários grupos por todo o pais, que atualmente conta com aproximadamente 60 grupos.

O grupo Shindō Daiko (antigo Grupo de Taiko de Vitória) foi formado em 1993 pelo professor Seiji Oku, da JICA, inicialmente constituído por 5 integrantes tocando dois Taiko''s e três Takê''s.

Sendo um dos primeiros grupos de Taiko existentes no Brasil, o principal objetivo é difundir e divulgar a cultura japonesa em nosso país, mantendo a tradição do Taiko viva.

Atualmente, o grupo possui seis Taiko''s, três Takê''s e uma Fuê. Os membros possuem idade entre 8 e 30 anos.

 

Shindô 



As músicas do grupo são:

  • Kaibyaku: A criação do universo, do céu e da Terra;

  • Mushoo: A explosão dos sonhos, onde surge o homem e seus objetivos são lançados para serem superados;

  • Shingan: A serenidade da alma: tranqüilizar a alma e refletir sobre si mesmo;

  • Sookon: A explosão da alma: mostra a importância de ser um ser humano, queimando toda sua energia , construindo seu próprio respeito;

  • Inochi (lê-se "inoti"): A vida.

  • Shindō: música homônima, apresenta o espírito do grupo em forma de música.

A execução das músicas exige muita concentração, ritmo, harmonia e união entre os integrantes do grupo.

Para se executar as músicas com perfeição, é necessário entrar em um profundo estado de concentração e se tornar uníssono com os Taiko''s e os Takê''s. Para tal, faz necessário treinos com muita dedicação diária.

 

 Apresentação da música Kaibyaku (開闢) do grupo Shindō Daiko

Indique esta página a um amigo! Preparar para Impressão



Associação Nikkei de Vitória - ヴィトリア日系協会